sex. nov 26th, 2021

Ateísmo – Ter Deus ou sê-lo

Ateísmo – A luta p’ra ser o Sol

Por um momento se permita pensar com seu próprio cérebro, não com a intenção de me provar errado, mas entender o que quero dizer. Se não hesita em defender o consenso, que muitas vezes nem compreende perfeitamente, não tenha resistência com o que se mostra óbvio.

– O texto não é muito linear mas cada parte ajuda a entender o que é dito e implica em muitas coisas.

Cognição

A realidade é cognição, se isso ainda não está óbvio em sua mente, lembre-se: toda a matéria que observa é feita de átomos (estes que se portam como onda e partícula); o agrupamento que faz destes é em referência ao seu tamanho (descreverei melhor isso na próxima parte); a cor que vê é nada mais que a capacidade da matéria de absorção e reflexão de fótons mais, ou menos, energizados; toda definição que possui requer referências, que são ditadas por você.

O que faz a forma que todo esse processo toma em sua tela mental (sua visão em primeira pessoa) não ser considerada loucura é união (não atoa se chama realidade consenso).

– Se só você vê algo, então é louco, se todos veem, então é normal.

Quando se trata de consenso, crença e fato são basicamente o mesmo. O “mapeamento lógico” (ciência se baseia em testes e repetição) é só uma forma de fechar o abstrato (de todas as possibilidades limitamos o que será real) e colocar todo mundo no mesmo ritmo; por já estarem em ritmos similares há uma tendência de experienciar a mesma coisa (leia sobre alucinações e histerias coletivas p’ra ter um exemplo disso ocorrendo em outras circunstâncias).

Não se ache superior por estar atrelado a “lógica”, lembre-se que antes disso ela se baseia no sensorial, e que este é abstrato por natureza.

Abstrato

Do senso atual categoriza toda a parte mágica dos anteriores como ignorância/ingenuidade/loucura sem perceber que isso é só uma forma de harmonizar as informações que possui, assim como eles teriam sua própria interpretação de nosso momento.

Se com auto-sugestão/hipnose/drogas pode fazer alguém ver aura/seres enteais/espíritos, então poderia fazer com todos, assim deixaria de ser loucura e seria verdade. Um cético diria que são loucos enganados, um místico diria que finalmente retomamos uma capacidade perdida, os que viessem depois nem questionariam o fato.

O que há é uma infinidade de sonhos possíveis (o abstrato) e a tentativa de manter todos na mesma “dança” (harmonia).

Perspectiva

Toda definição que possui requer referência, em seu aspecto mínimo temos “algo” e “não-algo”, assim nasce tudo e nada, claro e escuro, barulho e silêncio, movimento e estagnação, etc.

– Aqui nasce a chamada santa trindade, temos tudo e nada, e na constante alternância temos o movimento (três aspectos mínimos da cognição).

Vejamos alguns exemplos dessa relatividade de perspectiva:

O agrupamento da matéria ocorre em referência ao seu tamanho, por exemplo, se o núcleo de um átomo de hidrogênio fosse do tamanho da cabeça de um alfinete (1mm) o elétron estaria, aproximadamente, a uns 50m de distância (nesse exemplo certamente não seria capaz de agrupa-los em sua tela mental).

O movimento só é notado quando se há comparação, por exemplo, se visto de dentro de um carro está em repouso, mas visto de fora está em movimento (assumindo, obviamente, que este esteja em percurso).

Entre qualquer ponto “A” e “B” há uma distância infinita que fica abstrata, dai nasce paradoxo de Zenão, pois se vai de “A” a “B” antes de atingir o destino precisa-se atingir 1/2 do caminho, então 1/4, 1/8, 1/16, 1/32, etc.

– Tendo essa noção de distância podemos ver o desdobrar do macro e micro em relação ao meio.

No tempo temos seu mapeamento lógico usando de referência a lua e sol, e temos seu aspecto abstrato dado na sensação, pois um minuto fazendo o que gosta é nada, um minuto com a mão no fogo é basicamente tortura.

Perceba que tudo requer referência, e somos nós a dita-las e interpreta-las.

A “coincidência”

A este ponto, se tiver compreendido perfeitamente as implicações do que foi mostrado, deve ter tido, no mínimo, uma noção da fragilidade de sua realidade, e desapegando do desenho pode começar a notar o que compõe o quadro.

Assim se percebe a chamada geometria sagrada, os três aspectos mínimos (passado, presente e futuro; antítese, tese e síntese; pai, filho e espírito santo) que se seguem formando os 7 ângulos centrais (7 cores da luz; 7 virtudes/pecados; 7 tons da musica) que com seus 5 intervalos fazem 12 (12 deuses; 12 apóstolos; 12 corpos no macro).

Esse desenho se repete em tudo pois é a própria base da cognição.

Pode chamar isso de coincidência? algo que se repete em literalmente tudo, os mesmos padrões, as mesmas formas, os mesmos desenhos.

Não há coincidência onde tudo coincide – Bob Navarro

– Isso está propositalmente superficial porque já foi detalhadamente explicado nesse site e no livro “Lucifer – Onde a verdade é a lei” do Bob Navarro.

Deus

Implicações:

  • A realidade é cognitiva, portanto, consegue ver dos olhos da ordem ou desordem (no primeiro paragrafo abaixo demonstro isso).
  • Os três aspectos mínimos sempre existem (se o tudo é tudo, então é nada, se é nada é porque vê o tudo, vendo novamente é; nessa constante troca de estados há o movimento).
  • Dá pra se assumir vida e inteligência no processo, pois é simétrico (mesmo no reino humano onde não há só a “matemática”); Pra além disso só haveria vida na redobra se houvesse na essência.

– Entendendo a segunda implicação você percebe que Deus (na terceira implicação o vê como Deus e não um mero processo) não precisa surgir, ele é, pois a própria ideia de “surgir” só é possível depois desse mínimo cognitivo, assim como é pra qualquer tipo de raciocínio.

Do teatro (a forma geral da realidade) temos duas realidades a se conceber, na primeira temos um Deus justo, misericordioso e infalível; na outra temos um deus falível ou inexistente. A escolha entre o sonho que pesadelo nenhum ofusca ou o pesadelo do qual sonho nenhum te salva (aqui se vê o inferno como um momento consciêncial).

– Ambos são cenários concebíveis, mas se visto de um ponto de vista atemporal só um se mantém, o que é assimétrico se desfaz, então não é real.

Do ponto de vista mínimo temos duas aparentes possibilidades, ser parte do todo ou sê-lo (a segunda é a ilusão do arrogante, se o todo é um momento, pelo qual pode ou não passar, já não o é; ainda sim é possível conceber esse momento, o momento da morte consciencial). A escolha entre ter a proteção do sol (vida) ou queimar no escuro sozinho (morte).

– Em outras palavras: Se sou eu que interpreto a realidade, não sou eu o próprio Deus? (“ser” não é estado p’ra alternar) só que se assim perceber, está sozinho (lembre-se que p’ra o tudo só resta o nada; ainda tem sorte, pois tem um eco denso o protegendo, pra não cair de vez no momento da morte).

Se não conseguia acreditar em Deus pois não entende seus atos, agora tem a oportunidade de compreender, basta ter humildade; do contrario se encaixa no que diz o titulo.
Quero Entender

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
8 Comentários
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
Matheus Reis Carmesini
Matheus Reis Carmesini (@matheus-reis)
Editor
12/06/2021 8:52 pm

belo post! Luz pra nós!

Silvia Cristina Rodrigues
12/06/2021 9:29 pm

Post perfeito! 🙌 LPN

Leonardo Moreira Feitosa Rodrigues
13/06/2021 2:21 am

Gratidão.
Luz P’ra Nós!

Bruno Davi Moquiute
Bruno Davi Moquiute (@bino3366)
14/06/2021 10:58 pm

Luz para nós!!!

Wesley Basilio
Wesley Basilio (@wesleysan)
12/06/2021 8:56 pm

Muito bem elaborado e coerente, amparado pela simetria divina. Luz p’ra nós!

Miryam Yoshiko
Miryam Yoshiko (@miryam)
Admin
16/06/2021 2:11 am

Muito bom o post, repleto de gnose!

Luz p’ra nós!

Shirley Oliveira
Shirley Oliveira (@shyrley)
Editor
19/06/2021 8:09 pm

Muito boa explicação.
Gratidão.
Luz p’ra nós

error

Seja caminho para a Verdade

Instagram
Telegram
8
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x

Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home3/escoladelucifer/public_html/wp-content/plugins/social-networks-auto-poster-facebook-twitter-g/inc/nxs_functions_wp.php on line 166
Pular para a barra de ferramentas