seg. abr 19th, 2021

Candidatos de Bolsonaro vencem na Câmara e no Senado, mas popularidade do presidente depende de melhora na economia

Compartilhe a Verdade!

Compartilhe a Verdade:


Rodrigo Pacheco à esquerda, atual presidente do Senado e Arthur Lira à direita, atual presidente da Câmara dos Deputados.

 

UOL

 

Costurada à base de cargos e emendas, a candidatura de Arthur Lira desbancou com folga o nome apoiado por Rodrigo Maia. A eleição terminou depois das 23h dessa segunda-feira (1°), pelo horário de Brasília, e o candidato do governo Bolsonaro vai comandar a Câmara dos Deputados pelos próximos dois anos.

 

O primeiro ato do novo presidente da casa anulou acordos para composição da Mesa Diretora. Costurada à base de cargos e emendas, a candidatura de Arthur Lira desbancou com folga o nome apoiado por Rodrigo Maia. A eleição terminou depois das 23h dessa segunda-feira (1°), pelo horário de Brasília, e o candidato do governo Bolsonaro vai comandar a Câmara dos Deputados pelos próximos dois anos. O primeiro ato do novo presidente da casa anulou acordos para composição da Mesa Diretora.

 

Raquel Miura, correspondente da RFI (Rádio França Internacional) em Brasília

A vitória de Arthur Lira (PP/AL) no primeiro turno para o comando da Câmara dos Deputados mostrou a força do Centrão, que já havia saído vitorioso dos pleitos municipais, impôs derrota ao ex-presidente Rodrigo Maia (DEM/RJ), que trabalhou pelo candidato Baleia Rossi (MDB/SP), e, num primeiro momento, representa também uma vitória política importante do presidente Jair Bolsonaro. Com mais de cinquenta pedidos de impeachment apresentados à Câmara, Bolsonaro apoiou oficialmente Lira, mas não se sabe quão duradouro será esse casamento, já que a relação foi construída sobre a promessa de entrega de mais cargos em ministérios, com expectativa inclusive em torno de uma reforma ministerial, liberação de emendas parlamentares, num toma lá dá cá explícito que tende a crescer a cada votação polêmica.

Além disso, o Centrão, formado por siglas da centro-direita que sempre buscam apoiar quem está no governo, tem uma pauta com potencial para onerar ainda mais as contas públicas, embora o grupo esteja alinhado com o discurso do mercado de que é preciso preservar o teto de gastos e aprovar reformas. A questão é que aprovar a ampliação do auxílio emergencial é mais fácil de se levar adiante no Congresso do que mudanças fiscais ou administrativas mais profundas que se arrastam há anos.

“De estabelecermos o que chamo de pauta emergencial e mostrarmos que as instituições políticas, o Estado, olham pelo povo abandonado no momento de sua maior vulnerabilidade. Tenho certeza que essa casa encontrará pontos mínimos, comuns para juntamente com os demais poderes ajudar o povo brasileiro a enfrentar os traumas e as dores da pandemia”, afirmou Lira no seu discurso de posse, ao mostrar que vai se dedicar a estender a ajuda emergencial que foi paga pelo Executivo ano passado.

O cientista político Ricardo Ismael, da PUC Rio, diz que a eleição de Lira afasta, ao menos por agora, o risco de se discutir o impeachment de Bolsonaro, já que cabe ao presidente da Câmara o despacho inicial de tramitação desses processos. Mas ressalta que isso, nem de longe, é sinônimo de ventos amenos para o governo, especialmente por causa da economia:

“É uma boa notícia para o governo Bolsonaro a vitória do Arthur Lira. Por outro lado, é claro que o governo vai atravessar mais um ano difícil. Você tem aí ainda uma vacinação que só está no seu início. E muitos acham que o atraso da vacinação se deve à inoperância, à incompetência do governo Bolsonaro, do Ministério da Saúde. Há também a questão da economia, muita gente ainda desempregada, muita gente que recebeu auxílio emergencial que agora está passando dificuldade. Então esse primeiro semestre vai ser ainda difícil, quando a popularidade do presidente Bolsonaro provavelmente terá uma tendência de queda. É que dificilmente as notícias vêm no curto prazo.”.

Por isso ele acha que o foco do governo, com o novo comando do Congresso, será nos projetos econômicos, visto que o desempenho da economia pode impactar na pressão em torno dos pedidos de afastamento do presidente. “O Arthur Lira provavelmente não vai ceder à pressão da oposição sobre o impeachment, a não ser que surjam fatos novos que levem a uma pressão muito grande sobre o Congresso Nacional. Isso certamente neste momento não há. Haveria que ter muitas manifestações de rua, muita pressão sobre os deputados federais para que houvesse aceitação de um dos pedidos contra o presidente Bolsonaro.”.

 

Trator nas negociações

Arthur Lira é chamado de trator pela forma como conduz as negociações políticas no Congresso e algumas vezes de estilo comparado ao do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ), que abriu o processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff quando se viu acuado por acusações. No discurso de posse, assim que foi eleito pelos colegas, ele disse que vai ouvir os líderes dos partidos antes de tomar qualquer decisão: “Dar voz aos deputados não é uma concessão, um autocontrole, uma autocontenção, porque é esta casa que deve falar, e o presidente deve dizer apenas o que a maioria desta casa pensa.”.

Mas em seguida, numa decisão monocrática, ele anulou as candidaturas aos demais cargos administrativos da Câmara, impediu a divulgação do resultado do pleito que já tinha sido concluído e convocou para esta terça-feira (2) uma nova eleição para a Mesa Diretora. “Tornar sem efeito a decisão que deferiu o registro do bloco PT-MDB-PSDB-PSB-PDT-Solidariedade-PCdoB-Cidadania-PV-Rede. Desconsiderar as candidaturas registradas para esses cargos, determinando novo prazo de registro de candidatura até as 13h de 2 de fevereiro de 2021.”.

Arthur Lira afirma que o PT ingressou no bloco de apoio a seu adversário Baleia Rossi já findado o prazo definido para a formação de grupos e mandou que toda composição da Mesa Diretora, feita com base no tamanho dos blocos, seja refeita. Rodrigo Maia havia permitido a entrada do partido de esquerda alegando que uma pane no sistema atrasou o registro. Os dois chegaram a trocar farpas e erguer a voz em reunião de líderes, antes da eleição.

A briga mostra como foi tenso todo o processo de sucessão na Câmara, inclusive com Rodrigo Maia ameaçando abrir processo de impeachment contra Bolsonaro quando viu que o próprio partido, o DEM, pulou para o barco de Lira. Ao fim, no discurso de despedida, Maia recuou no tom de ameaças e tentou pôr panos quentes na situação. “Vamos eleger o novo presidente. Tivemos um momento de mais atrito. No meu caso, com a candidatura do deputado Arthur Lira. A ele e àqueles que o apoiam, se em algum momento se sentiram ofendidos pelo que falei, não foi minha intenção.”.

 

Nome de Bolsonaro no Senado

No Senado não houve surpresas e o DEM continuará a comandar a casa desta vez com Rodrigo Pacheco, o primeiro mineiro a ocupar o posto após a redemocratização. Ele teve apoio do governo Bolsonaro e de vários partidos, inclusive de esquerda, como o PT, e foi o nome lançado pelo antecessor Davi Alcolumbre. “Igualmente, não posso deixar de registrar um compromisso de diálogo com as demais instituições que nos ladeiam na Praça concebida por Oscar Niemeyer. Ao Poder Executivo, dedicaremos parte significativa de nossos vigores, fiscalizando, deliberando suas proposições, dialogando para construir o futuro da Nação. Porém, dele exigiremos respeito aos compromissos assumidos e à independência deste Poder Legislativo.”.

O presidente do Senado é o terceiro na linha sucessória presidencial, atrás do presidente da Câmara. Mas como Arthur Lira é réu em dois processos penais no Supremo Tribunal Federal, inclusive na Lava Jato, ele pode ficar de fora dessa linha de substituição da presidência da República. Assim, se Bolsonaro e Mourão se ausentarem, quem assume o posto é o presidente do Senado.

 

 

Portais
 Fortaleça no merch!

escoladelucifer.com.br
unebrasil.org
unebrasil.com.br
unebrasil/livrolucifer
querovencer.unebrasil.com.br
congressodigital.unebrasil.com.br

Luz p’ra nós!

Compartilhe a Verdade:


5 1 vote
Article Rating

Compartilhe a Verdade!

Entre com:





Subscribe
Notify of
12 Comentários
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
Silvia Cristina Rodrigues
03/02/2021 6:12 pm

Luz pra nós!!

Leonardo Moreira
03/02/2021 6:22 pm

Luz P’ra Nós!

Gustavo Borba
03/02/2021 6:53 pm

Luz p’ra nós!

Eduardo Donald
03/02/2021 7:25 pm

Ta tudo dominado… por enquanto…

Admin bar avatar
03/02/2021 8:39 pm

Luz pra nós

José Ricardo Dos Santos
03/02/2021 9:36 pm

Luz p’ra nós.

Macauley Shivaya ''Mago''
03/02/2021 11:54 pm

Luz para nós!

Hitler
04/02/2021 10:24 am

Luz p’ra nós!

Beatriz Belato
04/02/2021 11:07 am

Luz p’ra nós

Shirley Oliveira
04/02/2021 6:01 pm

Luz p´ra nós.

Bruna Sollara
05/02/2021 7:23 pm

Luz p’ra nós!

Diego Costa
11/02/2021 12:33 am

Tomara que estejamos enganados e o Bozo consiga reerguer nossa economia, mas que é bastante improvável é

error

Seja caminho para a Verdade

12
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Pular para a barra de ferramentas