Censura judaica de Netanyahu mantém massacres de Israel ocultados

censura1 - Censura judaica de Netanyahu mantém massacres de Israel ocultados

Compartilhe a Verdade:


O primeiro-ministro israelense, Benjamin “mentiras” Netanyahu, deve assinar uma ordem estendendo o sigilo das informações (censura judaica) armazenadas nos arquivos dos serviços de segurança de 70 a 90 anos, incluindo o massacre de Deir Yassin realizado por gangues judaicas sionistas na Nakba.

A increpação perante fatos reais, ocorreu por solicitação de agências de segurança e outros órgãos para estender a confidencialidade dessas informações para evitar a publicação de parte das informações durante o ano em curso.

As agências de segurança afirmam que a extensão da confidencialidade vem com o objetivo de “impedir a detecção de fontes de informação de inteligência, métodos de trabalho utilizados hoje pelos aparelhos, além de informações oriundas de fontes estrangeiras”. Tudo fica muito fácil quando mascarado por esta descompostura e sua fragilização como povo perseguido.

Vale ressaltar que Netanyahu assinou um pedido semelhante em 2010 estendeu a confidencialidade dos arquivos de 50 para 70 anos.

vedados 300x195 - Censura judaica de Netanyahu mantém massacres de Israel ocultados
Censura judaica – A mentira que cega pessoas do mundo inteiro.

Segundo Haaretz, a assessora jurídica do chamado “Arquivo do Estado”, Naomi Aldubi, distribuiu ontem aos ministros, quarta-feira, uma minuta de instruções que incluem os materiais contidos no Shin Bet e no Mossad, além dos arquivos do a Comissão de Energia Atômica e os centros de pesquisa nuclear e o Instituto Biológico.

Também impedirá o envio de itens da Divisão de Inteligência do Exército, informações relacionadas à coleta de informações de inteligência classificadas como “secretas” ou superiores, e itens relacionados a certas unidades do exército e do Ministério da Segurança.

Como resultado, a decisão de não divulgar esses materiais dificultará que historiadores, pesquisadores e jornalistas imponham restrições ao público em geral, incluindo itens relacionados ao massacre de Deir Yassin na aldeia de Deir Yassin em 1948.

Fica cada vez mais claro que essa censura judaica para fatos específicos e determinantes instigará cada vez mais pessoa em buscar o porquê desta ocultação de informações importantes que ligariam todos os pontos de nossa história e conflitos globais.

O arquivo do país e as leis declaram que todo cidadão tem o direito de acessar o material armazenado no Arquivo do Estado, mas concede ao governo o poder de restringir o acesso pela classificação de materiais, como aqueles classificados como “confidenciais” ou de acordo com o período de tempo passado. Fica claro que a censura judaica recai até mesmo sobre seu próprio povo judeu que gostaria de saber a verdade.

Judeus mentem. Luz pra nós!

4
Deixe um comentário

Please Login to comment

Entre com:




3 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
João PedroLaura Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Membro

Muito boa matéria, mestre. Com certeza não há como eles esconderem a verdade dos fatos por muito tempo. Como visto na matéria, todo esse encobertamento e censura aguça a curiosidade e logo a verdade dos fatos virá à tona . Seguimos fazendo nossa parte, compartilhando verdades para que cada vez mais pessoas saibam quem realmente é o povo pivô. Agradeço pelo compartilhamento. Luz pra nós!

Laura
Membro
Laura

Pilantragem demais velho…

João Pedro
Editor

São sinagoga de satanas

João Pedro
Editor

Se soltar os podre eles se suicidam. Geral vai cair matando