Grupo de direitos humanos detalha tortura executada por Israel contra prisioneiros palestinos

3
Compartilhe a Verdade!

Compartilhe a Verdade:


A associação palestina de direitos humanos Addameer publicou detalhes do que descreveu como “uso sistemático da tortura e dos maus tratos” contra prisioneiros palestinos no centro de interrogatórios de Al-Mascobiyya.

O grupo revelou “duras evidências” de “crime de tortura e maus tratos” cometidos contra palestinos nos meses recentes, ao descrever com detalhes “a cruel tortura física e psicológica e os abusos … submetidos a diversos detidos”.

Segundo os relatos da Addameer, até o fim de 2019, o Shin Bet – serviço de inteligência de Israel – “submeteu diversos detidos no centro de interrogatórios de Al-Mascobiyya a métodos severos de tortura física e psicológica”, a fim de “extrair confissões e forçá-los à auto-incriminação.”

A entidade de apoio aos prisioneiros palestinos declarou que representa cerca de cinquenta casos de detidos agredidos durante os interrogatórios, incluindo estudantes universitários e ativistas de direitos humanos.

Os prisioneiros palestinos podem ser interrogados por até 75 dias sem qualquer acusação, e também são impedidos de receber orientação de um advogado por até 60 dias.

Segundo o relatório, “métodos de tortura executada contra tais detidos resultam em marcas visíveis e escoriações pelo corpo … muitos [detidos] não são capazes de andar ou sequer mover-se devido aos espancamentos e posições de estresse aos quais são submetidos”.

Ainda assim, médicos a serviço dos centros de interrogatório negligenciam qualquer registro de tais marcas e cicatrizes e são responsáveis por “aprovar a capacidade física dos detidos para que retornem aos interrogatórios”.

A Addameer denunciou também que as cortes israelenses aceitaram apenas o requerimento legal para obter imagens das marcas de tortura sobre um único prisioneiro, rejeitando absolutamente todos os outros casos.

Segundo o grupo de direitos humanos, “o papel exercido pelos interrogadores, médicos e juízes são complementares, o que é reiteradamente evidente nas audiências jurídicas e seus protocolos.”

Apesar da proibição absoluta de qualquer método de tortura pelas leis e convenções internacionais, concluiu a Addameer, “a tortura contra prisioneiros palestinos é sistemática e generalizada nas prisões da ocupação israelense e seus centros de interrogatório.”

Portais
Não esquece de dar aquela força no merch!

escoladelucifer.com.br
unebrasil.org
unebrasil.com.br
unebrasil/livrolucifer
 

 

 

Luz p’ra nós!

Compartilhe a Verdade:


0 0 vote
Article Rating

Compartilhe a Verdade!

Jac Jannie

Mary Jannie's Sister - Jacqueline: Significa "a suplantadora", "aquela que vem do calcanhar de Deus", “a filha gêmea que nasceu por motivo”; “que Deus a proteja”. Jacqueline é a variante feminina e francesa do nome Jacques, nome equivalente a Jacob ou Jacó. Ya’aqov’el. Jac: Significa “Deus é cheio de graça”, “agraciado por Deus” ou “a graça e misericórdia de Deus” e “Deus perdoa”. Jannie: Significa “Deus é cheio de graça”, “agraciada por Deus” ou “a graça e misericórdia de Deus” e “Deus perdoa”.

Entre com:




Subscribe
Notify of
3 Comentários
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
Michelly
Admin
26/01/2020 5:21 pm

Lamentável

Michelly
Admin
26/01/2020 5:22 pm

Como que vivem fingindo que não tem nada acontecendo

Jonathan Muniz
Editor
27/01/2020 1:18 am

Luz p’ra nós!

Next Post

Povos indígenas vão entrar na Justiça contra Bolsonaro por racismo

dom jan 26 , 2020
Compartilhe a Verdade!Compartilhe a Verdade:A Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) anunciou na noite de quinta-feira (23), através da sua coordenadora executiva Sonia Guajajara, que vai entrar na Justiça contra o presidente Jair Bolsonaro pelo crime de racismo. “Nós, povos originários desta terra, exigimos respeito. Bolsonaro mais uma vez […]

Siga-nos os bons

Ative o Sininho

Clique Aqui

Quem está online

Não há usuários online neste momento

Você:

Teus Téritos bônus

0 Téritos
error

Seja caminho para a Verdade

3
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Pular para a barra de ferramentas